Dicas para o sono do bebé

Este é um tema difícil para muitos pais e, como em praticamente tudo nos bebés, nem todos respondem da mesma forma.

Estabelecer bons hábitos de sono desde os primeiros dias de vida é um bom começo para qualquer nova família, mas nem sempre tudo funciona de forma maravilhosa, certo? Há bebés que têm condições que podem impedir que o sono do bebé seja completamente descansado. Falo de, por exemplo, problemas de refluxo, cólicas ou até fome, que, sendo recorrentes, causam desconforto e não ajudam na hora de dormir. Também temos o nosso lado: o cansaço – ou exaustão! – toldam-nos o raciocínio, impedem-nos de ter paciência e de encarnar o zen buda que menciono aqui tantas vezes.

Vamos perceber antes uma coisa: o sono é um comportamento automático, que é desencadeado pelo aumento da pressão do sono. Nós dormimos desde que estamos no ventre materno sem que ninguém nos ensinasse como o fazer, mas os estímulos que tínhamos no nosso T1 eram menores do que os existem cá fora.

A partir do momento em que nascemos, passamos a ter uma componente externa que tem um peso grande sobre este comportamento. Por isso, já se torna num comportamento parcialmente aprendido, que nós conseguimos também influenciar.

Sabemos também que o número de horas de sono diminui com a idade; no entanto, para cada idade, cada bebé tem as suas necessidades de sono. Mais à frente neste post, irão encontrar a média de horas de sono por dia por idade 🙂

As expectativas

Vamos começar pelo princípio e vamos nivelar as expectativas. Os vossos amigos têm bebés que dormem a noite toda desde o primeiro dia? Ótimo! Não se foquem nisso. Eles têm isso, mas se calhar têm outras dores de cabeça.

No que diz respeito ao sono do bebé, temos que estar cientes de que acordar à noite é perfeitamente normal. O ritmo circadiano (ou o relógio corporal, se lhe quiserem chamar assim) de um bebé recém-nascido ainda não foi desenvolvido, portanto uma boa ideia é começarmos a diferenciar entre noite e dia, para que o bebé aprenda. Significa isto dar muita exposição à luz natural durante o dia e nos momentos em que devem estar acordados e despertos, com muita interação e algum ruído; à noite, há que manter tudo mais escuro e silencioso, com a interação em níveis mínimos.

Sabemos que o “João Pestana bate à porta” quando vemos os bocejos, olhos a serem esfregados, por vezes alguma agitação à mistura. É hora de começar a rotina do sono! O mais provável é que, rapidamente, possa escalar para irritabilidade ou choro se o bebé não for dormir. 😉

Há alturas, com as minhas filhas, em que not os que o sono delas não está igual, apesar das rotinas serem as mesmas. É aqui que entro no modo “porquê?”.

Para nós é um problema acordarmos 20 vezes durante a noite, quando até já estávamos habituados a dormir bem. Ou então à hora normal de irem dormir estarem absolutamente elétricas. Mas às vezes isto acontece. Então nós, o pai e a mãe, tentamos perceber o que se passa.

https://giphy.com/embed/8GOYcHhgqwDkI

via GIPHY

Os motivos

Quer seja com a Pipoca mais velha, quer seja com a Pipoca mais nova, tentamos perceber o que incomoda o descanso. Pode ser Muitas vezes, é uma combinação de vários fatores. Quando eram mais bebés, podiam ser fraldas sujas, fome a meio das horas de sono (às vezes conseguíamos dar biberão enquanto dormiam, para que não despertassem totalmente), alguma cólica, ou um motivo diferente. Tentem perceber o que pode ser; na maioria das vezes vocês são dois a pensar, podem ter ideias a dobrar (ou não :D).

Deixo-vos aqui alguns possíveis motivos para problemas de sono:

  • Fome
  • Associação ou dependência do sono
  • Tempo de sono feito durante o dia
  • Confusão dia / noite
  • Calor ou frio
  • Roupa desconfortável (prefiram roupa de algodão, mais macia, sem botões nas costas e bordados que possam irritar a pele sensível)
  • Dentição
  • Doença (esta é chata, mas acontece)
  • Alguma alergia ou intolerância alimentar
  • Refluxo
  • Apneia obstrutiva do sono (amígdalas aumentadas)
  • Pesadelos
  • Alteração das rotinas

As sestas

Sobre as sestas diurnas, tão necessárias para os bebés, são momentos de aprendizagem para o sono da noite também. São momentos em que treinamos os pequenos para adormecer, em que criamos um ambiente propício para isso. Se os bebés não dormirem durante o dia, vão ficar mais cansados, menos abertos a atividades e irritáveis. Quando vos falo de sestas, variam de bebé para bebé: uns fazem 2 sestas grandes por dia e está tudo bem, e outros fazem sestas curtas várias vezes durante o dia (as “power naps”). Em tudo é necessário equilíbrio.

Métodos

O momento de adormecer é importante; a forma como colocamos o bebé, os estímulos que têm, etc., vão ser aprendidos pela criança como a “forma de adormecer”. É uma altura em que devem sentir segurança, amor, proteção. São coisas que nos parecem pequenas, mas que contribuem para que o bebé tenha um conjunto de fatores que lhe mostra que aquele é o momento do descanso.

Os bebés mais pequenos têm, normalmente, uma maior necessidade de algum estímulo repetitivo para adormecer: o “shhhh”, o abano, o “tapinha” no rabinho, etc. À medida que as semanas passam, podemos fazer estes movimentos em menor duração e intensidade, até ao dia em que aprendem a adormecer sem eles e vão ganhando independência no sono.

Vamos tentar que os sonos sejam sempre à mesma hora. Nós, como adultos, já sabemos as horas do dia, por isso, ao chegar a hora começamos a rotina de acalmar para dormir. Pode ser necessário fazer um relaxamento (há quem dê banho antes da hora de dormir), minimizar os estímulos e fazer o caminho para que chegue o sono.

Depois, passamos para a parte de dormir, com uma rotina de adormecimento (desligar a luz ou diminuí-la, pôr alguma música ou ruído branco, etc.) com ações que o bebé associe ao sono e que o façam relaxar.

Podemos aqui ponderar se estamos a tentar vários métodos para adormecer o bebé num curto espaço de tempo ou muitos ao mesmo tempo. Ao não termos sucesso, podemos pensar se estamos a usar muitos métodos e a causar confusão ao bebé. Mais vale pensarmos de forma estruturada e aplicar um de cada vez. Nem sempre é fácil, porque nos exige um plano e que investamos mais tempo na sua aplicação. Mas acaba por nos dar mais resultados a longo prazo. Temos que controlar a nossa ansiedade 😉

Pensem que isto é algo a longo prazo: no início, os nossos rebentos são completamente dependentes de nós, até para adormecer. Nós temos o trabalho de os treinar a adormecer parados em vez de com embalo, e na cama em vez do colo, mas tudo a seu tempo. Já me disseram várias vezes e li em sites de especialistas que, a partir dos 12 meses, devemos tentar que as crianças adormeçam sem a nossa presença. Digo-vos que a minha filha mais velha tem quase 3 anos e isso ainda não acontece. Mas vamos trabalhando nisso, não é por ser mais tarde que vamos desistir.

https://giphy.com/embed/a3zqvrH40Cdhu

via GIPHY

A cama

A cama é importante. É o local de conforto e repouso.

Idealmente, deve ser uma cama de grades – onde o bebé pode dormir desde o nascimento. NO meu caso, as minhas filhas dormiram na minha cama nos primeiros 2 meses (se tanto); e depois passaram para a cama de grades.

Tal como a nossa cama, deve ser arejada diariamente. Escolham um colchão que fique justo ao tamanho da cama; caso contrário, terão espaços e o bebé pode ficar lá preso. Livrem-se dos acessórios dispensáveis; na cama deve estar a roupa da cama apenas, principalmente quando são ainda pequenos. A roupa de cama deve ser leve e não deve chegar à cabeça do bebé. Enfiem mais debaixo do colchão, aos pés, para ajustar. Não precisam de pôr muita roupa na cama (no extremo podem só colocar a roupa de baixo (o lençol elástico do colchão) porque a roupa do bebé vai sendo ajustada consoante a temperatura. Cheguei a usar o saco de dormir com as duas em noites mais frias 🙂

Em ambas, enquanto não usaram almofada, coloquei um toalhão de banho para inclinar um pouco o colchão na cabeça. Mais tarde, começaram a usar a almofada e tirei isso.

Os sonos por idades

Dos 0 aos 3 meses: 16-18 horas de sono/dia

Nesta idade, os períodos de sono do bebé são mais irregulares e muito condicionados pela fome. Vão crescendo e os ritmos de sono vão-se moldado às horas de dia e noite, e aos ritmos dos sonos dos pais. É natural, no primeiro mês de vida, o bebé dormir pouco tempo seguido. Ainda se está a habituar.

Dos 4 aos 5 meses: 16 horas de sono/dia

Aos poucos, o bebé começa a ficar mais tempo acordado durante o dia e conseguimos desenvolver mais atividades com eles. A esta idade, alguns bebés vão para o infantário, o que pode contribuir para que haja uma regulação dos horários dos sonos diurnos, que, por sua vez, terão impactos no sono noturno.

Dos 6 aos 12 meses: 14-15 horas de sono/dia

Aqui pode haver uma variação dependendo da intensidade e duração das atividades que tenham durante o dia. É também normal haver um período de sesta maior do que o outro (novamente dependente dos estímulos que tiveram antes dessa sesas) e é comum que façam duas sestas por dia com duração média de 1h30 a 2h. Esta duração e ritmo vai-se ajustando até aos 12 meses, mais ou menos.

https://giphy.com/embed/xT8qBvH1pAhtfSx52U

via GIPHY

Espero que este post, escrito em vários dias como já vem sendo meu hábito, ajude alguém a adormecer bebés. Se ajudar, é um bom dia! 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s