O desapego das coisas dos nosso filhos

Chegamos a uma altura em que os miúdos crescem e as coisas que eles usavam ficam encostadas a um canto.

Há já alguns meses que fui pondo coisas das miúdas à venda. Algumas roupas, um ou outro brinquedo que nenhuma tenha usado (vou vendo sempre pela mais nova), artigos de higiene novos, etc.

Há uns meses, logo no início do confinamento, vendi um conjunto de babygrows tamanho 0. Um novo, dois pouco usados (meia-dúzia de vezes pela Pipoca mais nova) e um mais usado, mas em bom estado. Não vou dizer que eram peças com história nem foram as primeiras roupas de nenhuma delas (essas não vendo, ok?), mas, tirando o usado, foram das poucas peças que comprei para a Pipoca mais nova.

Aqui estão os babygrows que vendi dessa vez

Portanto, sim, custou-me vender isto. Para terem ideia, nem sequer foram as primeiras coisas delas que vendi, mas pronto. Senti-me triste por tê-lo feito, mas pensei que as primeiras roupas de cada uma delas estão bem guardadas e também foram novas para ambas.

Hoje escrevo isto porque o meu desapego ainda precisa de ser trabalhado. Acabei de vender a espreguiçadeira delas. Foi algo que eu e o meu marido comprámos juntos, que ele escolheu (e bem) e que fez parte desta casa desde então. Foram 3 anos a olhar para ela. A ter as miúdas lá. Mas a mais nova deixou de a usar há uns tempos porque só queria rebolar para o chão.

E foi assim que acabámos por encostá-la a um canto. Mas continuava visível. Ainda perguntei a alguns amigos se a queriam comprar, mas nenhum quis. Talvez me sentisse melhor se fosse para a casa de um bebé amigo, não sei.

Acabei por pôr o anúncio para venda ontem e comecei logo a receber contactos. A primeira pessoa que quis vinha buscar hoje almoço e na hora não apareceu. Mandou mensagem a dizer que teve um imprevisto e que depois remarcava. Certo. Perguntei para quando queria remarcar e até agora zero respostas. Utilizador denunciado no Marketplace e siga ara o seguinte

Já tinha mais 6 pessoas na lista de espera. Fui à seguinte e marcámos para as 21h. À hora certa, veio a senhora. Negócio limpinho. Coração partido 💔 triste.

Eu sei que passa, já passei por coisas bem piores e eu nem sou uma pessoa materialista. Mas sim, está a custar-me. Ontem custou-me receber os contactos e hoje custou-me entregar a espreguiçadeira. Mas tem que ser. A minha casa não é um armazém e faz parte do ciclo das coisas seguirem para novas casas.

Adeus, espreguiçadeira. ♥️

(Isto de dominar o desapego é uma arte.)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s