A reunião no infantário

Ontem fomos até ao infantário tratar da inscrição da pipoca mais nova e ter a reunião semestral com a educadora da pipoca mais velha.

Custa-me sempre ir a estas reuniões quando sei que a Pipoca faz todo um circo quando ouve um “não” ou quando está frustrada com alguma coisa, porque sabemos que ela é um doce de miúda e essas situações nem parecem vir da mesma pessoa.

Mas tem que ser e faz tudo parte do plano gigante que é educar os nossos filhos.

Temos que ser fortes e trabalhar sobre a ideia de que a nossa filha pode ser a criança mais difícil da sala dela, por menos que queiramos que isso assim seja, e, no fim, conseguir contrariar essa tendência.

Sobre o desenvolvimento da Pipoca, há alguns pontos que ela parece ser mais assertiva em casa, mas nós sabemos que só não demonstra o mesmo no infantário porque não quer – é uma zona de confiança diferente, com os pares dela, e ela sabe que se apontar para alguma coisa, alguém a irá buscar. Em casa, as coisas são diferentes: muitas vezes estou eu sozinha com as duas e acaba por ser a situação ideal para a puxar para a verbalização das vontades e para lhe ensinar coisas novas.

Don’t bite!

Enquanto há dias falava das situações em que ela é mais passiva, ao falarmos com a educadora tivemos a certeza de que, num núcleo de confiança, ela tem o impulso de ir buscar o que lhe tiram e de se defender se for atacada. Ficamos mais descansados (só ligeiramente!). Se a situação não for rapidamente resolvida, ela fica mais frustrada e transtornada e já aconteceu morder um colega (nada de grave fisicamente, mas estamos atentos ao comportamento).

Confesso que, apesar da educadora nos dizer que é natural esta reação nas crianças (não que devamos incentivar, mas é normal que, a dada altura, aconteça), não me deixa nada confortável. ZERO. Olho para isso como se fosse um The Walking Dead – Kindergaten Edition e nada me agrada. Em casa só aconteceu um par de vezes e até já lá vão umas largas semanas, e nós explicámos-lhe que não se faz e que ela deve falar e pedir o que quer. E nunca mais aconteceu.

Come a sopa, Pipoca, come a sopa

Na saga da sopa, estamos a tentar várias abordagens. No infantário não há qualquer birra para comer; bem pelo contrário, come num instante e sem qualquer problema!

No infantário, a birra é para se sentar na cadeira. Diz a educadora que eles vão para a sala da refeição e ela diz aos meninos para se sentarem nas respetivas cadeiras e a Pipoca, claro, faz das suas e anda de cadeira em cadeira até que a educadora ou uma auxiliar a têm que a sentar na dela. Como não quer, toca a chorar baba e ranho e a tentar tirar a babete. Até que percebe que aí vem a comida e lá se cala.

Pode fazer alguma birra para comer algumas coisas, mas é claramente porque lhe apetece embirrar. Há uma auxiliar na sala dos bebés que, ao que sabemos, consegue que ela coma tudo e mais alguma coisa. Obrigada, Arminda. 😌

Basta conseguir dar-lhe um pedacinho para ela comer tudo.

Em casa, birra com a sopa e com os purés de fruta (exceto quando são nas saquetas, aí tudo joia). Com a berraria que ela faz, estou a pensar treiná-la para canto lírico, porque pulmões não lhe faltam e sempre trabalha mais alguma coisa.

Nestes últimos dias não lhe tenho dado sopa. Amanhã ou depois já lhe volto a dar. Pode ser que intervaladamente a coisa lá vá (tenho sérias dúvidas, senhores!). Como estivemos com a casa em pantanas por causa da inundação, não houve grande margem para lidar com birras nem para a deixar horas e horas à mesa numa casa imunda. Assim, tenho reforçado o prato e a fruta. Vamos a ver como corre quando lhe voltar a pôr sopa à frente. Pelo sim, pelo não, é melhor apresentar-lha às 18h para ela a comer lá para as 20h.

Artista!

A melhor parte desta reunião é ver o portefólio com os trabalhos da Pipoca. 💓

Ela gosta imenso de pintar e rabiscar, o que não é novidade para nós. Tanto que no próximo fim-de-semana a vamos levar a duas oficinas da Clarabóia, uma de barro e outra de pinturas. Esperamos que ela goste, mas estamos escaldados com o desaire na Casa da Música. Pray for us. 🙏

Ficámos com a capa dela cheia de trabalhos para recordar e para fazermos o arquivo das coisas dela. Confirma-se que os puzzles, livros e montagens são os brinquedos favoritos dela e que ela é muito cuidadosa e zelosa com os brinquedos. É capaz de estar concentradíssima a montar puzzles e nem o apocalipse a fará levantar-se, seja connosco, seja no infantário.

O resto é semelhante em casa e no infantário, sendo que, connosco ela verbaliza mais – mas digo-vos que tenho a certeza que é por estar mais à vontade que alguém lhe fará o que ela quer no infantário.

Como são os vossos pimpolhos? Quando têm estas reuniões também têm surpresas? Contem tudo! 🙂

~a

2 thoughts on “A reunião no infantário

  1. Não querendo falar da parte do infantário – já me desgastei com essa parte – digo que a Pipoca mais velha vai adorar as Oficinas da Claraboia. A MJ começou a fazer aos 18 meses, e adorou ambas. A das pinturas então nem se fala! É uma excelente escolha 😉

    Ok, vou falar do infantário – lá são completamente diferente do que são em casa mas isso não é pior nem melhor, é o que é.Pronto, já disse!

    Gostar

    1. Eu tenho quase a certeza de que vi os atelier da Clarabóia porque me mostraste ou fizeste alguma partilha / like e eu vi 😁 ela gosta destas atividades em casa E no infantário, por isso tenho expectativas altas. 🙂

      Quanto ao infantário… Godspeed 😅

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s