A primeira visita à biblioteca

Na sábado passado, senti-me já melhor e consegui cumprir uma promessa que tínhamos feito às Pipocas: ir à biblioteca. Pode parecer-vos algo irrelevante, mas a mais velha ficou em pulgas com a ideia. Com a minha cirurgia, acabámos por adiar os planos um par de semanas, mas a cada dia que passava ela ia perguntando quando é que íamos e este sábado lá fomos nós.

Temos uma biblioteca mesmo perto de nossa casa, por isso o esforço da viagem foi muito controlado, mas ia a pensar nos trabalhos que ia ter com a mais nova, que está numa altura em que 90% das coisas se traduzem em drama ou amuo. Mas coragem, não desistam destas ideias!

A biblioteca é importante

De tempos a tempos, há alguém traz à tona a ideia de que com os e-books a serem mais populares e em conta (para além de mais ecológicos), as bibliotecas irão ficar obsoletas e desaparecer. As editoras vão parar de imprimir livros e o mundo literário como o conhecemos vai acabar.

Para mim, as bibliotecas fazem parte do centro de nossa cultura. Os bibliotecários não são velhinhas rabugentas, anti-sociais, sentadas estranhamente atrás de uma mesa, mas sim alguém que nos guia pela cultura sem precisarem de um mapa na mão. Por outro lado, as bibliotecas são, no fundo, comunidades que oferecem, em si, descanso para gentes de todas as idades, desde os mais cansados ​​aos cheios de energia, e podem bem ser um lugar seguro para pais cansados estarem com os seus filhos.

A leitura começa cedo

Quando digo isto, refiro-me ao hábito de ter livros – e fazer uso dos mesmos – em casa, na escola, etc. Os pais adoram livros, e eu leria mais se mais energia tivesse. As miúdas também gostam imenso de livros, principalmente a mais velha. Ir a uma livraria e não trazer um livro é uma tarefa difícil, mas que ela tenta compreender, por isso quando nos preparámos para esta ida à biblioteca, expliquei que não iríamos trazer nenhum livro.

Sempre fui grande fã de bibliotecas. Já não ia a uma biblioteca há muitos anos, mas quando ia, era pessoa para ficar lá o dia inteiro, fosse a estudar, a pesquisar sobre algum tema, ou simplesmente a ler. Durante a pandemia, requisitei livros da Biblioteca Florbela Espanca, em Matosinhos, e isso foi um serviço fantástico que ajudou os longos meses a passar.

Assim, espero que estas visitas à biblioteca sejam algo que possam fazer parte da nossa rotina, incluindo marcos importantes, como ter o cartão da biblioteca, requisitar livros, devolver livros, ir à hora do conto, etc. Acho fantástico que elas aproveitem estas coisas, e para nós, pais, também é enriquecedor e é tempo de qualidade para todos. A Pipoca ficou fascinada com a ideia de ter um cartão da biblioteca, que acredito que vá ser emocionante tê-lo e poder requisitar os livros pela primeira vez. Em modo “2 em 1”, é também uma lição de responsabilidade. 🙂

A visita

Chegámos à biblioteca por volta das 10h35 e só saímos quando fechou para o almoço (12h30). É um piso enorme, talvez no triplo do tamanho da nossa casa, que temos imenso espaço e uma oferta enorme de livros. Elas ficaram fascinadas com o espaço tão grande e com tudo o que lá havia.

Há uma secção bastante recheada para crianças, que tem também alguns jogos e um espaço para a hora do conto e outras atividades. Elas ficaram fascinadas!

Quando lá chegámos só estavam mais duas pessoas, a ler os jornais. Cerca de uma hora após termos chegado, veio uma mãe com dois miúdos mais crescidos e, ainda mais tarde, um casal com uma menina, que só foi entregar e requisitar livros.

A primeira dificuldade foi escolherem se queriam um livro ou um jogo, porque a oferta era grande e era praticamente tudo – ou tudo mesmo – novidade. Lá as consegui acalmar e conduzir a uns livros que levámos para a zona do conto. Estive lá com elas a ler à vez e esta foi a segunda dificuldade que tive, porque eu sou uma, elas são duas, e cada uma queria o seu livro. Mas nada que não se ultrapassasse.

A verdade é que elas estiveram super-entretidas e mesmo com uns amuos da mais nova, a visita foi tranquila e elas não perturbaram quem lá estava. O tempo passou bem; só dei conta das horas quando, pelas 12h15, o bibliotecário me veio avisar que ia fechar para almoçar e que se quisesse requisitar livros teria que me despachar.

Nas quase duas horas em que lá estivemos, vimos vários livros, fizemos puzzles, vimos uma menina que brincava com as marionetas e fizemos origami. Diria que ficou bem acima do que esperava conseguir. As Pipocas nem queriam vir embora – mas perceberam que o bibliotecário tinha que ir almoçar e convenci-as a regressar à base com uma passagem pelas “árvores” para apanharmos pauzinhos.

Dicas para a visita à biblioteca

Aqui estão algumas das minhas principais dicas para vocês aproveitarem uma visita destas.

Visitem durante a hora da história:

É capaz de ser um dos melhores momentos para visitar a biblioteca com crianças pequenas. Funciona como pausa para os pais e os bibliotecários e autores que participam são normalmente muito bons a interagir com as crianças enquanto lêem para elas.

Por outro lado, os pais também aprendem algumas rimas e músicas novas, além de ouvirem as outras pessoas a ler as histórias, o que ajuda a trabalhar a nossa escuta.

Preparem os pequenos para vozes interiores:

Se vêem a Bluey, já conhecem o episódio sobre a “voz interior” (episódio “Modo Dança”). Pode demorar para eles entenderem o que é, mas, sendo a biblioteca um lugar naturalmente silencioso, é mais fácil de registarem que o volume deles deve ser semelhante.

Deixem-nos explorar:

Esta é uma experiência para os vossos filhos (também), por isso, é importante que permitam que eles explorem e investiguem o que há na biblioteca e como podem usufruir dela. Se não tiverem que seguir a mãe e o pai a todos os segundos, ficarão mais curiosos para explorar e, muito provavelmente, verão a biblioteca como um lugar muito interessante para visitar.

Orientem ou deixem-nos descobrir os livros infantis e vejam quais chamam a atenção deles. Como pode ser difícil para saberem depois voltar ao sítio onde estava o livros de que tanto gostaram, ajudem-nos com a orientação no espaço. Por exemplo, a minha filha gostou de um livro de dinossauros que estava ao lado da estante que tinha uma girafa gigante. 😉

Divirtam-se:

Pode ser importante que os vossos filhos fiquem mais quietos na biblioteca, mas se vocês estiver na secção infantil, não precisam ser tão quietos. É maravilhoso que os miúdos fiquem entusiasmados com o que lá há, por isso alguma manifestação dessa alegria e entusiasmo é permitida.

Se virem o bibliotecário, apresentem-no aos vossos filhos – para eles é uma referência e, para o bibliotecário, poderá ser uma oportunidade de apresentar algo novo.

A biblioteca é um ótimo lugar para levarmos os nossos filhos. Serve, entre outras coisas, como incentivo ao gosto pelos livros, mas também para pouparem dinheiro, pois poderão requisitar uma grande variedade de livros ao longo da vida.

One thought on “A primeira visita à biblioteca

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s