Os grupos de trocas e doações no Facebook

Há dias que ando a pensar nisto, não por ser mega tema de conversa, mas porque me mostra o melhor e o pior das pessoas: grupos de trocas e de doações no Facebook.

Esotu em vários, vamos começar por aí. Estou em 3 grupos de doações apenas e, neste momento, em dois que permitem trocas (um é doações/trocas/vendas, mas nunca aparece nada para doar e raramente para trocar, por isso não tarda salto fora, e o outro é de doações/trocas, aqui da minha zona).

Estou em dois grupos bem grandes de doações: Dou-te se vieres buscar (Distrito do Porto) e Dou-te se vieres buscar (Porto e arredores). Parece redundante, mas as pessoas vão pondo coisas nos dois grupos e eu, normalmente, antes de pôr costumo ir ver se há alguém a pedir o que vou dar em cada um destes grupos e assim já não preciso de fazer publicação a dar. Estes dois são os que têm mais gente e têm bons administradores: pessoal que dá muito tempo do seu dia atento ao que vai no grupo, que ajuda as pessoas a orientarem-se (há sempre pessoal novo a entrar) e que corre quem não está a cumprir. Além disso, uma das regras do grupo é não pedir para vender, por isso também estão atentos ao que os membros fazem. São assim as regras, quem quer cumprir, fica, quem não quer, sai. Simples.

Estou também num só de doações da minha freguesia, que é útil para coisas que não valem a pena uma deslocação: imaginem, sei lá, que têm um par de toalhas de banho para dar. Se calhar a alguém de perto até faz jeito e não têm gastos para vir de Gaia, por exemplo, uma coisa que vale menos que o bilhete de autocarro.

No entanto, neste o pessoal não é muito ativo e acaba por se perder o post ali durante semanas. Também não há grande administração a fazer mexer o grupo, logo acaba por morrer. Ou seja, com muita pena minha, deixa de ser interessante por falta de movimento.

Depois vem o das doações e trocas. Esse é assim algo que pode ir entre o melhor sítio do mundo e o faroeste. Administração é bolha naquele grupo. Vamos firmar aqui que todos estes grupos têm aprovação obrigatória dos posts, ok? Logo não faz sentido num grupo que se chama “Doar ou trocar e ajudar o próximo (Matosinhos)” aparecerem pedidos – que até mobilizaram ajuda – para alguém de Sesimbra… Depois de haver já 4 ou 5 pessoas a juntarem-se alguém pergunta “mas onde fica esse sítio?” e a pessoa responde “Sesimbra”. Não dá, não é?… :\

Agora aproveito para partilhar as experiências que tenho tido neste grupo. Nos outros dois grupos as coisas têm corrido bem. Normalmente verifico a quem faço doações, e ponho mais posts a doar do que encontro quem já tenha pedido o que tenho, mas como são grupos com dezenas de milhar de pessoas costumo ir ver quem comenta a pedir no que tenho para dar se já tem post a pedir, se costuma fazer doações, etc. E assim pelo meio já encontrei pessoas que queriam tudo e mais alguma coisa, outras que suspeitei que quisessem para vender (falei com uma administradora e verificou-se), e, claro, muita gente boa pelo meio. Felizmente são mais os casos destes do que pessoal com piores intenções.

Então, neste das doações e trocas aparecem coisas quase todas as semanas para troca. Normalmente coisas muito prozaicas: calçado, roupa, etc. A primeira coisa que me saltou à vista quando aderi é que para doação é raro aparecer alguma coisa. Mas com isso consigo viver; se quiser mesmo só doar, ponho num dos outros, até porque a expectativa lá é ser dado, simples.

Outra coisa é que muita gente não é clara no que quer. Eu costumo pôr logo à partida o que quero; mas recentemente experimentei colocar um post sem dizer claramente o que quero (coloquei que aceito sugestões, mas que poderiam ver os outros outros posts para terem noção do que me faz falta) e tive vários comentários. Não deram em nada, como suspeitava.

Há uns tempos, pouco depois de ter entrado neste grupo, pus logo alguns posts com coisas para trocar. Consegui trocar uns séruns novos que tinham vindo numas Mimobox (noutra vida 😆) por livros para as miúdas, e depois mais uns produtos com uma senhora que tem uma filha incapacitada (com paralesia cerebral) e que precisava de coisas para ela ou para depois vender e dar para ir pagando contas. Pediu troca por vários artigos que eu tinha: bastantes coisas de higiene (perfumes da Zara, uns cremes que não uso, etc) e, pelo meio ainda separei coisas que ia pôr nas doações e ela levou. Como era muita coisa, combinou logo no primeiro contacto que iria trazer uma parte das coisas (também só levou parte, mas reservei o resto, assim se ela não voltasse a perda não era grande 🤪) e depois marcaria outro dia. Face à vida da senhora, ficou assim combinado e passada uma semana e tal ela lá voltou. Não era muito certa – dizia que vinha num dia e veio 2 ou 3 dias mais tarde sem avisar, mas tudo bem. Trouxe mais coisas e levou o resto da parcela, sendo combinado o que faltava.

Depois disto, que foi no fim de abril, nunca mais me disse nada. Não apareceu no dia combinado, dei ali mais uns dias e nada. Como ela me tinha falado de outros artigos que viu no grupo e que lhe interessavam para vender, tentei ir por esse lado quando a contactei: mandei mensagem a perguntar se sempre queria, se era para reservar e se aceitava a troca pelo que estava no post ou se queria sugerir outra coisa – e, claro para avisar quando queria (até porque tinha uma pessoa interessada num dos produtos).

Respondeu que sim, mas que tinha o carro na oficina e que na semana seguinte me diria alguma coisa. Tudo bem, aguardei uma semana, duas semanas… nada. Junho a entrar e nós prestes a ir uns dias para fora, torno a mandar mensagem – ainda não tem o carro, esteve doente, tudo e mais alguma coisa. Bem, respirei fundo, pensei que acontece e pedi para marcamos dia. Marcámos. Não apareceu. No dia seguinte, pergunto, responde que ainda não pode ir, mas que marca para a semana seguinte e que ainda quer os produtos todos. Eu já a pensar que nunca mais a vou ver, e tento nem me aborrecer… Mas chegamos a meio de julho e decido contactar novamente, desta vez a dizer que vou entregar os produtos a outras pessoas. Coisas que ela supostamente queria muito.

Depois dessa (longa) mensagem, ela lá responde só “Vou aí amanhã às xx horas”. E lá aparece, já depois da hora, mas apareceu.

Entrega (quase) tudo o que estava combinado da vez anterior – faltava uma embalagem de leite e outra de boiões de fruta para criança, mas nem me chateei. E depois pediu para ver novamente os produtos que eu tinha (só os tinha visto por foto) e para rever o que pretendia em troca.

O produto que ela inicialmente queria – e para o qual tinha outra pessoa interessada – já não o quis. “Uma coisa tão barata, até mo podia dar, não é?” – ao que respondi que se fosse para dar, tinha dado a outra pessoa. Azedamos, podem apostar nisso.

Eu tinha uma lista de tudo, com o que pedia (que batia certo com o que partilhei nos posts do grupo) e até lhe disse que aquilo era o que me fazia mais jeito, mas era negociável, desde que ela trouxesse as coisas. No meio das coisas todas, dois pares de sapatilhas novas, de marca, na caixa, com preço e tudo, que pedi para trocar por 2 pacotes de fraldas cada uma – ou 1 pacote de fraldas e uns pacotes de leite, por exemplo (por alto vamos falar num equivalente a €20 cada, mais ou menos). Diz-me a senhora que isso é um roubo e que se eu quisesse mas comprava por €10, porque o irmão era doente, estava num lar e vinha – curiosamente! – no dia seguinte ao Porto e ela queria dar-lhe umas sapatilhas. Curiosamente eram do tamanho que ele calça e o outro par, de senhora, eram o número da filha. Isto há coincidências que nunca iremos conseguir deslindrar 🤪

Imaginem a minha cara – até percebo que a vida da senhora não seja fácil, se bem que há alturas em que já desconfio de tudo, porque a vi a pedir ficar com N coisas no dito grupo e quando lhe perguntei se já tinha posto as coisas à venda, me respondeu sempre “ainda não”… meses e meses disto… mas pronto!

Adiante, lá na conversa, ela ainda me sugeriu “levar e depois vir noutro dia trazer o que pede”, mas já estava escaldada – e disse-lhe logo que não valia a pena ir por ali, até porque ela se começou a queixar de que eu tinha ficado chateada com ela e eu apenas disse que eu percebo tudo e sim, claramente estava, porque me custa entender como é que alguém marca com outra pessoa, falha e depois não diz mais nada. E ainda se aborrece quando lhe cobram (coisa que odeio fazer, mas pronto). 🤷‍♀️

A seguir, insistiu que achava o valor muito alto por umas sapatilhas e que eu devia aceitar o que ela me estava a propôr. Claro qu aceitaria, se fosse próximo do que eu queria – como eu lhe disse, é uma troca, ambos os lados têm que beneficiar. Nem eu lhe peço os €50 ou €70 do PVP das sapatilhas em troca, nem ela me deve vir marralhar para metade ou menos do valor pedido. A dada altura ela diz “então e se eu ficar com as sapatilhas de homem por 4 litros de leite que tenho no carro?” e eu já nem me lembro o que respondi.

Resumindo e concluindo: eu já só queria que ela me tivesse trazido o que estava em falta – vou dar como tratado, apesar da falha “ligeira”, mas pronto. À saída, ela ainda me perguntou “e perfumes como os que tinha no outro dia, não tem?” e eu ri-me e disse “Vá vendo no grupo. Boa tarde.”.

Este tema ficou aqui fechado, mas não deixei de me perguntar se não estaria a ser incorreta em alguma altura… 😔 Penso que não há seriedade e que há quem faça não valer a pena isto das trocas. Na minha cabeça, deveria ser algo para quando achamos que podemos recuperar algum investimento e daí não optarmos por uma doação. Mas posso estar enviesada.

E vocês? Estão em grupos destes? Como fazem as vossas trocas, se fazem? Têm recomendações?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s