Parvovirose humana

Dizia-vos ontem na página que tenho a Pipoca mais nova em casa com uma parvovirose.

No fim-de-semana passado, reparámos que ela tinha uma das bochechas muito vermelha, mas pensámos que fosse de algo que tivesse estado em contacto com a face dela e tivesse causado alguma reação alérgica. Fora isso, nada de alarmante a acrescentar.

Na segunda à tarde, ligaram do infantário a avisar que ela estava com febre (39,2 C) e eu fui buscá-la (e à irmã também) e marcámos consulta com pediatra para terça. Entre a febre no infantário e a consulta, foi um constante de paracetamol e ibuprofeno, intercalados a cada “mão cheia” de horas.

O diagnóstico do pediatra foi rápido: parvovirus, também conhecido por “vírus da estalada” (lembram-se de eu dizer acima que ela tinha a face toda vermelha de um lado?) ou também por “quinta doença da infância”. Causa um eritema infeccioso (uma infecção viral contagiosa) que se manifesta numa erupção cutânea vermelha irregular, que deixa as bochechas muito vermelhas, com mal-estar leve.

É possível que, mesmo estando com uma parvovirose, não se tenha sintomas. (O nome “parvovirus” deriva do latim, e significa “pequeno vírus”, apontando já para algo sem muito transtorno.)

Os sintomas incluem febre, normalmente leve, a já mencionada erupção vermelha no rosto que dá a impressão de que a pessoa recebeu uma palmada (daí a alcunha de “vírus da chapada”) no rosto e uma possível erupção cutânea em padrão de filigrana nos braços, nas pernas e no tronco. Pode ainda causar inflamação na garganta, dor de cabeça e de estômago (com alguma perda de apetite) e fadiga.

Foto: webconsultas.com

O vírus parvovírus humano B19 que causa esta situação, é comum e estas parvoviroses são mais frequentes durante os meses da primavera e mais transmissíveis entre crianças. A infeção é disseminada principalmente pela inspiração de gotículas expelidas pela pessoa infetada.

A erupção cutânea pode ir e vir até cerca de 3 semanas, tornando-se mais visível quando a criança é exposta a temperaturas elevadas ou passa o tempo ao sol.

No caso dos adultos, não é tão comum ter vermelhidão no rosto, mas sim geral algumas dores nas articulações.

Tratamento

Na grande maioria dos casos, o eritema infecioso é uma doença benigna e autolimitada, que se cura sozinha sem a necessidade de nenhum tipo de tratamento. Deve ser feita a vigilância da temperatura, dando paracetamol / ibuprofeno quando necessário. Apenas em casos em que haja muita comichão poderá ser necessário um anti-histamínico para aliviar. 😉

Um nota para as grávidas:

A infeção também pode ser transmitida da mãe para o feto durante a gestação, o que em casos raros resulta em feto nado morto ou anemia grave e excesso de líquidos e inchaço (edema) no feto (hidropsia fetal).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s